Conheça três tendências que marcas de luxo devem considerar ainda em 2017

14 Sep 2017

Fonte: Ari Wolfe, Olapic.com

As marcas de luxo têm concentrado esforços para controlar rigorosamente a sua identidade e mensagens. Em uma indústria amplamente definida por relacionamentos tradicionais que cultivam a qualidade de produtos e serviços, as marcas de luxo têm sido cuidadosas na adoção de tecnologias de consumo e plataformas sociais. Por esse motivo, monitorar a vertical de luxo pode ser um bom indicador do amadurecimento de tendências. Atualmente, o comportamento dos consumidores está sendo influenciado por dispositivos móveis e um desejo por experiências personalizadas. Foram listadas três tendências que estão em evidência para as marcas de luxo:

1- Aumentar a segmentação de canais:

As marcas de luxo segmentaram seu público consumidor através de canais tradicionais de mídia, com materiais impressos ainda liderando 60% do investimento em publicidade de bens de luxo, segundo a Zenith´s Advertising Expenditure Forecast. Embora seja improvável que materiais impressos diminuam no curto prazo, mais marcas estão reconhecendo a explosão de outros canais de mídia relevantes, sendo um desafio e uma oportunidade para engajar a atual e a nova audiência. Por esta razão, de acordo com a Zenith, um grande aumento de 97% do investimento dos próximos 2 anos na vertical de luxo serão atribuídos a canais digitais. Com um crescimento tão relevante na adoção de plataformas digitais, as marcas inteligentes reconhecerão os desejos de onde o público quer estar e, consequentemente, irão envolvê-los em vários pontos de contato.

2- Pressão do cruzamento de conteúdo:

A introdução de canais adicionais no ecossistema de marketing das marcas de luxo também aumentou a necessidade por conteúdo personalizado de grande qualidade. Isso chama-se “Cruzamento de Conteúdo”, e como todas as outras verticais de consumo, o segmento de luxo está sentindo a pressão para performar bem. À medida que as preferências dos consumidores estão mais sofisticadas e personalizadas, as marcas de luxo devem fazer um trabalho diferenciado através da criação de experiências. Caso contrário, elas correm o risco do seu público prestar atenção nos competidores, ou ainda perder por completo a comunicação com eles através do uso de tecnologias para bloqueio da comunicação. De acordo com a pesquisa da eMarketer, 69.8 milhões de consumidores dos Estados Unidos utilizaram um sistema de bloqueio de anúncios em 2016, resultando em uma aumento de 34.4% comparado à 2015. Embora este dado tenha assustado muitos anunciantes de todos os segmentos, isto pode ser uma fantástica oportunidade para os anunciantes planejarem experiências criativas de marketing.

3-  Envolvimento dos consumidores nas estratégias de marketing:

Então, como esses desafios podem ser solucionados? Criar conteúdo personalizado que engaje todos os consumidores é exorbitantemente caro, necessita de recursos intensivos e muito difícil de gerenciar. Embora a necessidade em manter o controle da narrativa da marca, muitas grifes de luxo estão abrindo caminhos diretos para dialogar com seus consumidores e os envolvendo em seu processo de planejamento de marketing. A interação através de vídeos, a proliferação de ambientes visuais como o Instagram e a preferência do consumidor por conteúdo autêntico, estão direcionando as marcas de luxo para um ambiente onde o consumidor atua como criador. No Instagram, por exemplo, existem mais de 500 milhões de usuários criando mais de 95 milhões de fotos diariamente. Certamente, as marcas estão encontrando valor nas mídias da população. De acordo com uma pesquisa da Worldwide Business Research, patrocinada pela Olapic, 90% dos líderes do varejo que estão utilizando conteúdo dos consumidores em suas campanhas estão obtendo métricas positivas.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Curtir
Please reload

Destaques

Pós-venda: o retorno do cliente pode ser uma oportunidade de ouro.

01.06.2017

1/1
Please reload

Recentes