Como a Geração Millennial está reinventando o mercado de luxo

30 Aug 2017

Os hábitos comportamentais da geração Millennial estão reinventando o mercado de luxo. A indústria de luxo está passando por uma fase de transformação tão forte como nos anos 70 e 80, quando grandes players do mercado estabeleceram as regras do jogo como as conhecemos atualmente. Conheça os indicadores de mudança.

Fonte: Michael Solomon, Forbes.com

De acordo com um estudo recente da Bain & Co, o mercado de luxo deverá crescer novamente em 2017. As vendas de bens de luxo caíram modestamente entre 2015 e 2016 - passando de € 251 bilhões para € 249 bilhões -, mas o primeiro quarto de 2017 já se mostra promissor. O estudo registrou um crescimento de 4% no primeiro trimestre deste ano, com um crescimento de 2 a 4% no ano.

Os principais fatores para este crescimento são o poder de compra dos consumidores chineses, bem como o aumento do turismo e o aumento da confiança na Europa. Outro fator de crescimento para 2017 e que ajudará a redefinir o mercado de luxo na próxima década é o estado de espírito da geração Millennial. 

A projeção é que até 2025 as gerações Millennial e Z representarão 45% do mercado global de bens de luxo. Embora isso ofereça grandes oportunidades para o mercado, os desafios também são grandes porque estas gerações pensam e compram de forma diferente do que as gerações anteriores.

Desde a década de 1950 havia uma definição clara e predominante sobre uma “vida aspiracional”: obter um diploma de uma instituição de destaque, uma carreira consolidada, casar e ter filhos, e eventualmente tornar-se mais rico do que seus pais. Esta fórmula de sucesso era refletida nos bens de consumo e os produtos eram uma forma de testemunhar as passagens através dos estágios da vida e realizações.

A geração Millennial, na sua maioria, valoriza um estilo de vida bem diferente. É a primeira geração a abordar a vida em condições econômicas menos favorecidas do que os seus pais. Herdaram uma visão ampla do mundo, onde “família” e “religião” não são mais elementos indispensáveis, e são os embaixadores da revolução digital - o que traz uma percepção diferente de tempo, espaço e possibilidades, tornando tudo possível e agora.

Para as marcas de luxo, isto é um indicador de que o consumo tem um significado diferente para os Millennial, que buscam uma maneira de auto-expressão através dos bens que adquirem. Além disso, eles valorizam muito as experiências, o que se traduz na prática de compra, seja online ou nas lojas. Para as marcas, isso significa que a experiência de compra precisa se tornar imersiva para que os clientes se sintam vivendo todo o processo de construção dos produtos, caso contrário, não se sentem engajados para definir qual a diferença entre um produto ou outro.

Sendo altamente digitais e com uma renda disponível para investir em educação, viagens e conectividade, os consumidores de luxo da geração Millennial estão expostos a muitos estímulos globais, não importando em qual parte do mundo estão, eles são capazes de compartilhar experiências com pessoas de todo o mundo. Nenhuma cultura é impermeável para essa geração.

As marcas que estão bem posicionadas para capturar esse mercado estão afastadas dos velhos hábitos do mercado de luxo, onde a marca era soberana para cativar os consumidores. A nova geração das marcas de luxo deve permitir a auto expressão dos consumidores e estar aberta a colaboração e contaminação. O mercado de luxo irá passar por mudanças significativas com as novas exigências da geração Millenium, assim como já passou nas década de 70 e 80 e estabeleceram as regras do jogo como as conhecemos hoje. 

Share on Facebook
Share on Twitter
Curtir
Please reload

Destaques

Pós-venda: o retorno do cliente pode ser uma oportunidade de ouro.

01.06.2017

1/1
Please reload

Recentes