História das Marcas: Ferragamo

7 Nov 2019

Em um vilarejo rural italiano, no dia 5 de junho de 1898, nascia Salvatore Ferragamo: aquele que viria a fundar uma das mais lendárias maisons de sapatos e artigos de couro luxuosos.

 

Ferragamo teve uma infância típica de vilarejos, mas desde os nove anos demonstrava vocação para o mundo de designers de sapatos.

 

A irmã mais nova de Salvatore estava prestes a receber a Primeira Comunhão - ritual sagrado e de grande importância para os católicos -, mas se viu impedida de comparecer à cerimônia por não ter um sapato na cor branca, adequado ao traje do momento. Foi a partir dessa situação que Salvatore produziu seu primeiro sapato e deu-o a sua irmã.

 

Ao completar onze anos, Ferragamo se tornou aprendiz de sapateiro e aos 13 abriu uma loja de sapatos junto com sua família. Desde cedo, Ferragamo já demonstrava aptidão não apenas para designer de sapatos, como para empreendedor.

 

Salvatore cresceu e mudou-se para os Estados Unidos. Instalado em Santa Barbara, na Califórnia, Ferragamo notou que havia uma falha na produção local dos calçados: não eram confortáveis e não possuíam boa qualidade. Como iniciou a carreira produzindo manualmente os sapatos, ele se desenvolveu extremamente perfeccionista e rigoroso no controle de qualidade.

 

Decidido a produzir os melhores calçados e almejando tornar-se uma marca conhecida pelo conforto e qualidade, Salvatore passou a estudar a anatomia humana – principalmente os pés – na Universidade do Sul da California.  Constatou que quando estamos em pé, o peso do corpo cai diretamente sobre o arco plantar, provocando o cansaço e dores típicas depois de um longo período em pé. Com isso em mente, passou a desenvolver a “engenharia” de seus sapatos de forma que as solas sustentassem os arcos plantares como um pêndulo invertido.

Além do conforto, seus sapatos se destacavam pela beleza e pela criatividade dos materiais utilizados, sendo alguns dos mais extraordinários: escamas de peixe, peles de girafas, zebras, lagartos e jaguatiricas. Entre os materiais exóticos e luxuosos, Ferragamo era expert em trabalhar também com materiais baratos como a lã, a cortiça e até mesmo o celofane!

 

Certa vez, ao abrir uma caixa de bombons em um domingo à tarde, Ferragamo notou a perfeição do papel celofane que embrulhava os doces. Devido à escassez da pele de cabra na época pós-guerra, ele não pensou duas vezes antes de inovar e introduzir o material na confecção de seus sapatos.

 

Com a marca ganhando visibilidade graças à utilização dos sapatos em filmes, Ferragamo ficou conhecido como “o sapateiro das estrelas”. Mudou-se então para Hollywood, o principal núcleo cinematográfico do mundo. Por lá, o designer abriu uma boutique chamada Hollywood Boot Shop, no ano de 1923, e se especializou na produção de botas de cowboy.

No ano de 1927, acabou retornando para a Itália e foi inserido novamente no núcleo de artesãos especializados em couro. Prosseguiu suas produções com a mesma perfeição de antes, principalmente quando se tratava de produtos que seriam exportados.

 

Com a quebra da bolsa de 1929, o mundo entrou em colapso e Ferragamo decretou falência. Essa crise não deteve o designer que se reergueu e voltou aos seus dias de glória, principalmente após a criação da icônica "sandália invisível", em 1947. A peça foi produzida após um longo período de estudo e recebeu esse nome por ser feita de tiras de nylon que davam um aspecto invisível.

No mesmo ano, Salvatore ganhou o Prêmio Neiman Maurus, importante prêmio da moda americana que até então nunca havia sido entregue a um designer de sapatos.

 

Ferragamo faleceu em agosto de 1960, e deixou como herança à sua esposa e à seus seis filhos a busca pela perfeição e o amor pelo negócio de calçados. Desde então, a gama de produtos se diversificou para perfumes, acessórios e lenços (cumprindo o desejo de seu fundador). A partir de 1995, a marca expandiu e inaugurou grandes lojas em Seul, Xangai, Nagoia e Hong Kong.

 

Na área de empreendedorismo, a marca adquiriu a francesa Emanuel Ungaro e passou a gerenciar quatro hotéis (situados entre Florença e Roma) a partir de 1997.

 

Já no segundo milênio, ocorreu a abertura da primeira loja na América Latina, no México. Seguindo a expansão em direção ao Oriente, inaugurou lojas na Índia e nos Emirados Árabes. Em 2002, abriram a primeira loja em território brasileiro, localizada em São Paulo, no primeiro centro de compras de luxo do país, o Shopping Iguatemi. Atualmente existem cerca de 500 lojas da Maison, sendo 19 em aeroportos.

 

Fonte: Etiqueta Unica; Farfetech (texto e imagens)

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Curtir
Please reload

Destaques

Pós-venda: o retorno do cliente pode ser uma oportunidade de ouro.

01.06.2017

1/1
Please reload

Recentes