Os processos artesanais do mercado de luxo estão perdendo espaço pra tecnologia.

Quando falamos em mercado de luxo, a personalização é muito valorizada. O avanço da tecnologia está substituindo os processos artesanais antes utilizados para personalização. Isto significa que a definição de luxo também está mudando?

Fonte: Craig Allen, Luxurysociety.com

Relógio Reverso de ouro e personalizado, Jaeger LeCoultre.

A personalização tem sido um importante diferencial do mercado de luxo - a possibilidade de adquirir um produto customizado, feito artesanalmente com muita dedicação e de acordo com as preferências do cliente, é uma maneira de garantir exclusividade.

Até aqui nenhuma novidade, certo? Em termos. A personalização continua sendo um símbolo de exclusividade, mas a tecnologia avançada está dominando os processos de personalização e substituindo o artesanal. As marcas de luxo estão desenvolvendo tecnologias com efeito artesanal, porém para personalizar em grande escala, e custo muito baixo.

Pense em automóveis de luxo, por exemplo: ao adquirir um carro, você poderá escolher os detalhes no configurador - cor, acessórios, rodas, aparas e amenidades; é improvável que a marca irá fabricar outro modelo idêntico ao seu e isto irá conferir exclusividade ao seu produto. A personalização que antes era feita por uma equipe, foi substituída por máquinas e robôs, empregando alta tecnologia e custos relativamente mais baixos. O paradoxo está invertido: antes a tecnologia era empregada para reduzir os custos de produção em grande escala e padronização; agora ela está sendo empregada para reduzir os custos de um processo artesanal, porém mantendo o mesmo resultado visual do processo manual. O uso da tecnologia alcançou o poder de individualização necessário, mas é o oposto do processo artesanal - antes muito requisitado.

Carro de luxo da marca italiana Pagani, totalmente personalizado, com produção super restrita a cada ano.

No setor de Hotéis de Luxo, os clientes pagam mais caro para adquirir uma experiência exclusiva. E para isso acontecer, são utilizados softwares de gerenciamento e aplicativos digitais que orientam as equipes de funcionários. A estadia é programada de acordo com os pedidos do hóspede, que facilmente será fidelizado pela marca. Ao mesmo tempo esses pedidos são ricas fontes de informações que serão aplicadas à experiência de outros hóspedes. Através do uso de tecnologia com custo acessível, as necessidades dos futuros hóspedes serão antecipadas e a experiência oferecida será adequada para o perfil de exclusividade que ele espera.

Hotel North Island Lodge, Seychelles, uma das tarifas mais caras do mundo.

Os desenvolvimentos tecnológicos desafiam nossa percepção de luxo. Personalização, o símbolo da exclusividade, sendo alcançada através de inovação tecnológica ao invés da mão do homem. Os padrões de qualidade sendo calibrados por máquinas e não pela intuição humano. Parece que o nosso relacionamento com o luxo, ou melhor, nossa definição de luxo, está mudando.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Curtir
Please reload

Destaques

Pós-venda: o retorno do cliente pode ser uma oportunidade de ouro.

01.06.2017

1/1
Please reload

Recentes