• Contato Instituto do Luxo

Os Diamantes de laboratório


Com a intenção de transformar a indústria mais sustentável, tornou-se possível cultivar diamantes em laboratório. Desta forma, as joalherias terão outras opções ao invés de extrai-los da natureza.


Em um relatório emitido pelo Diamond Council of America (DCA) em 2015 mostra que é necessário escavar pelo menos 1.200 libras de rocha e minério para produzir ao menos um quilate.


A Balmain vem adotando essa nova forma de produzir diamantes, mas marcas como Tiffany & Co., Bvlgari e Cartier, ainda preferem buscar outras opções para tornar a mineração natural mais sustentável.


A co-fundadora do Positive Luxury afirma que a única forma de perceber a diferença entre um diamante cultivado em laboratório para um diamante natural é através de um gemologista (especialista em pedras preciosas). Mas para os consumidores, a ideia de possuírem uma joia inteiramente produzida em laboratório parece ser divertida e elegante e ao mesmo tempo, consideram que as pedras perdem o conceito de autenticidade e romantismo, segundo o Diamonds Insight Flash Report da De Beers. Com base nisso, os diamantes cultivados em laboratório são considerados como uma categoria a mais, mas que não se agrupará aos diamantes naturais.