• Instituto do Luxo

O que define e diferencia os mercados de luxo e premium?


Comprar um produto ou serviço de luxo não é o mesmo que adquirir uma roupa da moda. Você̂ sabe a diferença entre os dois?

Diferente da moda, que sempre se renova, o luxo almeja a eternidade. Uma bolsa de luxo da Louis Vuitton não é ultrapassada ou esquecida por outra. Ela é um produto único, que tem uma história e um sentido.

Por mais que se renove, a marca de luxo tem uma essência sempre presente em cada produto que lança ou oferece no mercado. Já́ a moda, funciona quase como um substituto para demarcar estações. A lógica dela é de renovação criativa, de criar sempre o novo, no decorrer de um tempo cíclico. ⠀

Muitas marcas de luxo trazem produtos de moda, mas a essência do luxo está mais relacionada ao eterno e atemporal. Todo mundo conhece o nome de marcas de luxo famosas - Louis Vuitton, Ralph Lauren, Gucci, Prada. Mas você sabe quem ou o que determina o que é ou não luxo? Em algumas sociedades, instituições foram criadas especificamente para definir esses critérios. É o caso do Comitê Colbert, na França, formada pelas marcas que são “top of mind” no mercado de luxo. ⠀

É possível perder posição nesse mercado quando se desconhece os critérios necessários para figurar no Olimpo das grandes marcas. Como exemplo, o aporte bilionário feito pela Ford para adquirir a marca Jaguar, na esperança de que a companhia tivesse um produto de luxo competitivo no mercado. Porém, às vistas dos clientes, o carro se tornou uma linha premium de uma marca popular... Quebrou-se a magia, o encantamento próprio do luxo. O resultado foi prejuízo para a companhia, até o ponto que a Ford teve que se livrar da Jaguar em 2008, que foi comprada pela Tata Motors.

Com isso, podemos aprender muito com as estratégias de luxo utilizadas pelas grandes marcas, em termos de marketing, experiência do consumidor, atendimento e relacionamento com um público diferenciado.