• Instituto do Luxo

As gerações de consumo


As famosas gerações de consumo segmentam o comportamento do consumidor baseado em seu ano de nascimento. Ao estudar o assunto, percebe-se que não há consenso sobre as limitações exatas de uma geração para outra, entretanto, para o estudo atual do comportamento do mesmo adota-se as seguintes gerações:

  • Geração Silenciosa: nascidos entre 1920 e 1940

  • Geração Baby Boomers: nascidos entre 1940 e 1960

  • Geração X: nascidos entre 1960 e 1980

  • Geração Y: nascidos entre 1980 e 1995

  • Geração Z: nascidos entre 1995 e 2010

  • Geração Alpha: nascidos a partir de 2010

Atualmente, as gerações mais estudadas são a X, a Y, e a Z. A geração X tende a valorizar principalmente a experiência no ponto de venda, mas também vêm adotando cada vez mais as estratégias digitais, graças a seus filhos e netos (das gerações seguintes) que os introduzem nestes citados meios digitais. De maneira Virtual ou Física, a geração X é extremamente leal às marcas.


Os membros da Geração Y estabeleceram laços estreitos com tecnologia e smartphones. Eles estão em constante busca por inovação em design, agregada a uma coleção exclusiva que pode refletir seu valor e personalidade. Essa geração gosta de mostrar sua exclusividade através de engajamento nas mídias digitais, optando por estabelecer vínculos com marcas de luxo que seguem a mesma estratégia.

Por sua vez, a Geração Z é formada por verdadeiros nativos digitais que não compreendem totalmente a vida fora deste universo digital. Isso significa que estratégias modernas de marketing em redes sociais devem ser consideradas e também tecnologias altamente atraentes para fornecer produtos e serviços que cativem esta geração.

Acredita-se que em 2025, a Geração Y e a Geração Z serão responsáveis por mais da metade das vendas totais de luxo, elevando o valor da indústria global de bens de luxo para 290 bilhões de euros.