• Instituto do Luxo

A história e evolução do luxo


O que a revolução francesa tem a ver com a evolução do luxo? Absolutamente tudo! A partir da revolução francesa, a democratização do luxo caminhou de maneira acelerada e isso teve um impacto direto sobre o mercado de luxo.

Luxo não poderia ser somente um reflexo de distinção social protegido pelas crenças sobre superioridade intrínseca de uma elite muito específica. O luxo não é mais o reflexo de um estilo de vida restrito, mas uma aspiração, um motor para sociedade. O Luxo passa a dar sentido ao consumo humano. O luxo tem ao mesmo tempo um processo estético e um forte componente místico que se conecta com o prazer de quem consome.

Luxo não é, necessariamente, um produto de última moda, está longe de ser o que há de mais tecnológico e funcional no mercado e não é somente o produto ou serviço mais desejado. O luxo envolve uma experiência multidimensional, que se relaciona com a possibilidade de que um produto ou serviço tem de proporcionar prazer a todos os sentidos de quem o utiliza.

Está igualmente ligado ao sentimento de exclusividade e raridade, demarcando em alguns casos a superioridade do estrato social e/ou cultural do consumidor. Também se relaciona com uma tradição, um fazer artístico, uma identidade única e um estilo de vida particular. É dessa combinação específica que nasce um produto ou serviço de luxo.

Longe de ter surgido na era vitoriana ou no século XXI, o luxo já́ aparecia no Egito Antigo. Ele apareceu como marca distintiva da posição superior do Faraó́ e seus familiares na sociedade. Era expressão de status, de valor, de um estilo de vida de uma elite considerada socialmente superior, por uma série de razões.

A partir da Revolução Francesa, a democratização no mundo caminhou de maneira acelerada e isso teve um impacto direto sobre o mercado de luxo. Luxo não poderia mais ser o reflexo de uma distinção social quase natural, protegida pelas crenças sobre a superioridade intrínseca de uma elite. Esse movimento também sentiu os efeitos da Revolução Industrial, que trouxeram um aumento progressivo do acesso e da qualidade de produtos e serviços de qualidade para milhões de pessoas. ⠀

Atualmente, O luxo não é mais um reflexo de uma crença sobre a superioridade intrínseca de uma casta, mas uma aspiração e um motor para a criação humana. O luxo significa não só́ uma marca de superioridade conquistada pelo mérito, como também denota raízes com a cultura particular na qual ele se insere. Ele confere um sentido quase transcendente ao consumo. O luxo hoje tem um caráter mais individual e subjetivo, podendo significar uma expressão particular de cada indivíduo, muitas vezes com uma relação mais afetiva emocional do que financeira.