• Instituto do Luxo

A economia compartilhada ganha força no mercado de luxo


A economia compartilhada já é uma realidade nos quatro cantos do mundo. Esse novo conceito apresenta ao mercado de luxo um inédito ingrediente de sucesso. Conheça os principais atributos desta nova percepção.

Fonte: Javier E. David, Cnbc.com

Em Abril a montadora General Motors revelou uma das novidades para 2018: o SUV high-end Buick Enclave. O destaque é a ótima relação custo-benefício para um produto que será muito luxuoso, porém custando cerca de U$ 6 mil dólares a mais do que um carro popular. Outro fator ocorreu há cerca de um mês: os investidores ficaram assustados com uma queda inesperada de vendas da Joalheira Tiffany, que ainda não tinha sido impactada negativamente com as quedas do setor, mas agora a gigante do segmento de joias também faz parte dos índices negativos.

A medida que os consumidores decidem como querem investir seu dinheiro, as marcas de luxo devem buscar maneiras positivas de mostrar como bens de luxo podem trazer privilégios exclusivos. As potências de luxo existentes estão lutando para preservar a lealdade dos consumidores, enquanto outras marcas estão esculpindo um novo sentido de luxo de acordo com a nova realidade. No novo luxo, os carros requintados ganham versões mais acessíveis e jatinhos são colocados à disposição através de locação por aplicativos, incrementando exponencialmente o uso compartilhado. O luxo evoluiu até certo ponto que não é apenas forma e função, mas sim um artigo que se adapta ao novo estilo de vida do consumidor.

Possuir um jato particular costumava ser considerado luxo para poucos, mas as empresas de compartilhamento estão ganhando o mercado. Inclusive a compra de jatos como forma de investimento tem sido um ótimo negócio para investidores, que disponibilizam vôos compartilhados com serviço completo à disposição dos consumidores. O JetSmarter é uma empresa do segmento que está ganhando notoriedade através da proposta de compartilhamento de viagens, tornando-se atraente opção para os consumidores pois oferece uma variedade de benefícios aos membros, incluindo serviço de vôo com catering, bebidas cortesia, acesso à hotéis premium e restaurantes exclusivos.

No mercado imobiliário de luxo a mudança também está trazendo inovação. Antes o consumidor buscava imóveis luxuosos e espaçosos, mas agora o luxo está associado às experiências extras como concertos na cobertura, restaurante com Chef de cozinha premiado e espaço para happy hour com DJs famosos.

O novo ingrediente-chave do luxo chama-se conveniência sobre o custo, onde os principais produtos oferecem facilidade com o uso, desta forma transformando o conceito de luxo em acessível.

#tendências #serviço #compartilhamento

INSTITUTO DO LUXO © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. SÃO PAULO | BRASIL.

ATENDE TERRITÓRIO NACIONAL E INTERNACIONAL.