• Instituto do Luxo

História das Marcas: Balenciaga


Uma das marcas de luxo com história admirável é a Balenciaga. Seu fundador foi Cristóbal Balenciaga Eizaguirre, estilista espanhol que nasceu em 21 de janeiro de 1895. Sua família era humilde: seu pai um pescador, e sua mãe costureira.


O primeiro contato que Balenciaga teve com o mundo da moda foi aos 12 anos, quando foi apadrinhado pela Marquesa de Casa Torrés, que lhe apresentou a alta costura e pediu que desenhasse um vestido para ela. Prosseguiu seus estudos e se formou como alfaiate, em 1918. No mesmo ano inaugurou seu primeiro ateliê, muito bem localizado no centro da cidade de San Sebastian. O ateliê logo começou a ser frequentado pelas mulheres mais influentes, o que possibilitou seu crescimento e expansão demais unidades, em Madri e Barcelona – sendo que as duas últimas inclusive atendiam a família real espanhola.


Em 1936, iniciou-se a Guerra Civil Espanhola, a qual obrigou comerciantes a fecharem suas portas... infelizmente Balenciaga foi um dos afetados e precisou fugir do país, mudando-se para Londres provisoriamente e em seguida para Paris. Como diz o ditado, "há males que vem para o bem", e foi em Paris que o império da marca se consolidou.


Em agosto de 1937, inaugurou oficialmente a Maison Balenciaga, junto com seus dois sócios: Nicolás Bizcarrondo e Wladzio Jaworowski. A primeira coleção apresentada seguiu a tendência francesa, que na época tinha fortes influências nacionalistas, o que fez com que sua marca fosse muito bem acolhida pelo público e pela imprensa. As celebridades da época também amavam ir as compras e vestir os tecidos e cortes perfeitos do estilista.


As maiores referencias para Balenciaga eram a cultura espanhola, e obras de artes de artistas cultuados no país. Assim sendo, elementos com vermelho vibrante, bustos volumosos e azul turquesa eram constantemente vistos em suas criações, remetendo as famosas touradas e dançarinas de flamenco.


Os desfiles das coleções eram diferentes se comparados aos demais, pois Balenciaga sempre lançava após a temporada, assim não disputava espaço nas páginas das revistas. Outro fato curioso é que apenas a Vogue e a Harper's Bazaar tinham autorização para fotografar seus desfiles. A estratégia de exclusividade garantia um prestígio e destaque ainda maior para a marca.


Cristóbal era muito bem relacionado no mundo da moda e ganhou a admiração de todos, até de seus concorrentes. Existem diversas declarações que foram ditas por estilistas renomados. Uma das mais famosas em relação à Balenciaga, foi dita por Christian Dior: “A alta costura é como uma orquestra da qual apenas Balenciaga pode ser o maestro. Todo o resto de nós somos apenas músicos, seguindo as direções que ele nos fornece”.


INSTITUTO DO LUXO © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. SÃO PAULO | BRASIL.

ATENDE TERRITÓRIO NACIONAL E INTERNACIONAL.