• Instituto do Luxo

História das Marcas: Louis Vuitton


Aos 16 anos de idade, Louis Vuitton chegou em Paris e ali iniciou um período de aprendizagem do ofício que viria a ser um grande império de luxo.


Na época, os meios de transportes utilizados eram carruagens, barcos e trens. As bagagens eram sempre manuseadas sem cuidado algum, e isso se tornou um problema constante na vida dos viajantes que muitas vezes tinham seus pertences danificados nas viagens. Foi assim que os artesãos ganharam destaque na fabricação de baús.


Louis Vuitton logo se tornou conhecido e valorizado como um dos melhores artesãos do ateliê. Monsieur Maréchal. Seu trabalho artesanal requeria habilidades especificas, e Louis sempre se preocupou em atender as necessidades dos clientes, construindo baús com as especificações que eles desejavam. Vuitton permaneceu no ateliê por 17 anos, até que abriu seu próprio ateliê na 4 Rue Neuve-des-Capucines, em Paris.


Seu sucesso e talento precoce para os negócios, fizeram com que Louis Vuitton ansiasse por novos horizontes: então ele abriu um novo ateliê, dessa vez em Asnières, no ano de 1859. Começou com apenas 20 funcionários, mas em cerca de dois anos já havia contratado mais de 100 novos colaboradores.


O ateliê passou por mudanças de ampliação em sua estrutura, e chegou a adicionar um espaço que servia de residência para a família Vuitton. O local segue como berço da fabricação até os dias de hoje, já o lar da família foi preservado e transformado em museu particular.


Grande parte do sucesso da Maison vem da resistência de seus fechos: em 1886, Georges Vuitton, filho de Louis, criou um sistema de fechamento inteligente que deixou os baús ainda mais seguros: duas fivelas com molas. Apesar de parecer algo simples, levou anos para ser desenvolvido completamente.


Um episódio curioso envolvendo os fechos, foi o desafio lançado para o famoso mágico Houdini, ele foi desafiado por George a escapar de um dos baús Vuitton utilizando seus truques de mágica. O desafio incrivelmente não foi aceito e a eficácia do fecho se tornou ainda menos discutível.


A celebração do Monograma


O famoso monograma que estampa os itens da Maison foi desenvolvido como uma homenagem a Louis Vuitton, por Georges Vuitton. O símbolo virou marca registrada da Brand, e para comemorar seus 100 anos, seis estilistas de renome foram convidados a recriar bolsas, mochilas, baús e malas utilizando o Monograma, mas dando o toque pessoal que cada um tem.


Os nomes cotados para participar do projeto foram: Christian Louboutin, Cindy Sherman, Frank Gehry, Karl Lagerfeld, Marc Newson e Rei Kawakubo. Dessa parceria surgiram peças curiosas, como a mochila com guarda-chuva acoplado, por exemplo.


INSTITUTO DO LUXO © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. SÃO PAULO | BRASIL.

ATENDE TERRITÓRIO NACIONAL E INTERNACIONAL.