• Instituto do Luxo

História das Marcas: Montblanc


Carregando o título de Power Pen por ser utilizada para assinar contratos importantes no mundo dos negócios e grandes tratados entre nações, a Brand alemã que faz parte do Grupo Richemont atualmente é um dos maiores impérios de luxo mundiais. August Eberstein, Alfred Nehemias eram respectivamente, um engenheiro e um banqueiro alemães, os quais compartilhavam a mesma paixão: as clássicas canetas de pena que acabavam de ganhar ascensão no mundo da moda no Reino Unido. Foi então que firmaram parceria com Claus-Johannes Voss, dono de uma papelaria, para criar uma versão alemã do produto. Em 1906, na cidade de Berlim, fundaram a Simplo Filler Pen Company (nome inicial da icônica marca).


Apresentaram uma linha de produtos com um savoir-faire rico em tradição e detalhes, com escrita macia e modelos diferenciados. Algumas peças eram confeccionadas com ouro, inox, fibra de carbono, diamantes, rubis e esmeraldas. Algum tempo depois, Alfred Nehemias faleceu, e isso fez com que August Eberstein desfizesse a sociedade e partisse em busca de outros sócios com o mesmo ideal que ele: desenvolver a melhor caneta do mundo. Encontrou Christian Lausen e Wilhelm Dziambor. Nesse período, a sede da empresa foi transferida para Hamburgo, o que facilitava as exportações e importações, fator que contribuiu para a expansão da marca.


Identidade Visual

Em tradução livre para o português, o nome da marca significa “Monte Branco” e foi designado à marca em 1909, como uma homenagem à montanha mais alta da Europa Ocidental – há relatos de que é uma analogia ao desejo da marca de se tornar a mais poderosa nos instrumentos de escrita -, juntamente com o lançamento da primeira Caneta-Tinteiro com tecnologia que dispensava mergulhar a ponta em um tinteiro, a icônica Rouge et Noir.


Em 1913, a Maison aderiu ao símbolo que permanece parte da identidade visual até o presente: a estrela de seis pontas. Para muitos, possuía um significado religioso oculto, mas a história verdadeira é que suas pontas arredondadas remetem ao topo da tal montanha coberto por neve.


Engajamento Social

Após a década de 70, a marca passou a se envolver mais com causas sociais, principalmente aquelas ligadas ao incentivo da cultura e da arte. Patrocinou espetáculos de balé, música e teatros. O envolvimento foi tamanho que um de seus slogans era “The art of writing”.


Em 1992, a brand criou o prêmio Montblanc de la Culture Arts Patronage, evento que homenageava artistas de destaque da época fortalecendo o marketing da linha de canetas de série limitada “Patronos das Artes”. Parte da renda arrecadada com as vendas dessa linha servia como donativo para músicos, artistas e festivais de artes. Além disso, a marca também adquiriu diversas obras de arte, e as expos temporariamente em seu escritório e posteriormente doou para o Museu Contemporâneo de Hamburgo.


O grupo Richemont

O conglomerado suíço adquiriu a Montblanc em 1997, tornando-a referência em lifestyle, indo além de canetas exemplares. Ampliando o portfólio de produtos, desde a última década a marca busca se aproximar mais do publico feminino. As cantes que antes eram vistas somente com executivos poderosos, agora caíram no gosto de executivas poderosas, independentes e donas de multinacionais. As canetas ganharam versões mais delicadas e femininas, assim como carteiras, pastas e demais produtos da marca.


Em seguida, nos anos mais recentes, retorna ao mundo masculino e se destaca como a marca de lifestyle masculina do homem moderno, conectado e cosmopolita.


O controle de qualidade

Parte fundamental do luxo é a qualidade do produto/serviço oferecido. Uma grande marca como a Montblanc não poderia ser diferente e entre outros sistemas, eles desenvolveram o sistema “Quo Vadis” que consistia na gravação a laser de um número único em cada caneta produzida, atestando assim sua originalidade e qualidade, além de garantir o rastreamento do produto, evitando que seja comercializado em pontos não autorizados. Cada instrumento de escrita da Montblanc é único.


O processo de produção das canetas é totalmente manual e leva cerca de um mês para que suas 60 etapas sejam concluídas. Para se ter uma idéia, as penas utilizadas são cortadas minuciosamente com uma lâmina de diamantes.


O Metamorphosis é um modelo de relógio que possui design e funções revolucionárias, uma vez que, através de um processo que faz uso de mecanismos inovadores, oferece a possibilidade de medir diversas variáveis de maneira muito precisa e confiável, além da possibilidade de alternar entre dois modelos.


As lojas

Atualmente a Montblanc conta com 400 boutiques próprias e mais de 9 mil pontos autorizados, em 90 países do mundo. A demanda é de cerca de 3 milhões de canetas, sem contar os relógios, carteiras, óculos, perfumes, joias e outros artigos. Representando 45% do faturamento total, as canetas permanecem sendo o carro-chefe da marca, seguido pelos relógios que totalizam 30% do faturamento.


Fonte: site oficial Montblanc


INSTITUTO DO LUXO © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. SÃO PAULO | BRASIL.

ATENDE TERRITÓRIO NACIONAL E INTERNACIONAL.